Blog Você Português

Visto para aposentados Portugal (visto D7): o que é

Aproveitar a melhor idade em terras lusitanas é uma alternativa para muitos aposentados brasileiros. O visto para as pessoas que possuem renda passiva com periodicidade mensal (Visto D7), que inclui os aposentados, permite que você e sua família morem no país e aproveitem a qualidade de vida de um dos melhores países da Europa.

Portanto, se você tem interesse em solicitar o visto, então acompanhe o nosso artigo sobre esse visto de residência e descubra como ele funciona e como requerer. Também conheça os serviços da Você Português.

visto d7 portugal

Índice do artigo

O que é o visto para aposentados (Visto D7)?

O visto para aposentados em Portugal (Visto D7) é uma permissão concedida para as pessoas que desejam morar em terras lusitanas e possuem renda própria no Brasil, suficiente para cobrir seu custo de vida no exterior. Ademais, pensionistas e detentores de rendimentos próprios e religiosos tem direito a requerer o visto.

Esse visto tem como objetivo conceder a possibilidade de residência de longa duração aos detentores de renda passiva mensal e é muito bem visto pelo governo português. Afinal, ele atrai pessoas com rendimento mensal fixo que movimentam a economia local.

O Visto D7 é um dos principais e mais solicitados em Portugal. Pois, apesar das diversas exigências, as chances dos requerentes conseguirem a aprovação são altas.

Não sou aposentado, posso aplicar para o visto?

Sim! Não é necessário ser aposentado para requerer o visto D7, basta comprovar que você recebe o valor mínimo de forma passiva.

As principais formas de comprar os rendimentos são: aluguel de imóveis, aplicações financeiras, lucros e dividendos de empresas ou direitos autorais.

Entenda as mudanças das regras para o visto D7 em 2021

O visto para aposentados em Portugal (Visto D7) está com novas regras em 2021. Após a votação do novo orçamento do Estado e a alteração no regime fiscal, o governo passa a exigir que os requerentes abram uma conta bancária no país antes da formalização da solicitação do visto.

Essa exigência é uma forma do requerente comprovar ao governo que terá acesso aos meios financeiros enquanto estiver em Portugal. Pois, além de abrir a conta, o solicitante precisa ter recebimentos anuais equivalente a 12 vezes o salário mínimo nacional, de € 705.

No entanto, a quantia varia bastante a depender do tipo de solicitação:

    • Individual: comprovação de € 8.460;
    • Com cônjuge: acréscimo de 50% do salário mínimo à conta (€ 352,5);
    • Com dependentes: acréscimo de 30% do salário mínimo à conta para cada dependente menor de 18 anos (€ 211,5).

Além disso, o requerente também precisa apresentar comprovantes do valor da aposentadoria ou dos demais comprovativos da renda passiva, assim como a declaração do Imposto de Renda para obter o Visto D7.

Sou aposentado no Brasil posso morar em Portugal?

Sim, os aposentados no Brasil podem morar em Portugal. Para tanto, é necessário possuir rendimentos compatíveis com a renda exigida pelo governo português.

Além de comprovar o rendimento mensal de € 705, os requerentes devem apresentar toda a documentação da sua aposentadoria no Brasil para dar andamento no processo do Visto D7.

Minha família pode morar em Portugal comigo?

Sim, o visto para aposentados em Portugal (Visto D7) concede a autorização de residência ao requerente e sua família. Dessa forma, nesses casos, é necessário realizar o processo de reagrupamento familiar através do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Os familiares dos aposentados que podem pedir o reagrupamento familiar são os seguintes:

  • Cônjuge ou companheiro;
  • Filhos menores ou incapazes;
  • Filhos maiores, solteiros que estudem em Portugal;
  • Menores adotados por um dos requerentes ou pelo casal;
  • Irmãos menores, que estejam sob responsabilidade do residente;
  • Pais do residente ou do seu cônjuge/companheiro, que estiverem sob sua responsabilidade.

Ademais, se os familiares estiverem no Brasil, a solicitação de reagrupamento pode ser apresentada ao Consulado da região de residência. A solicitação do reagrupamento também pode ser feita em Portugal, diretamente no SEF. Sugerimos fazer a solicitação assim que o familiar chegar em território português. 

vantagens do visto para aposentados portugal

Como solicitar o visto para aposentados Portugal?

O Visto D7 é uma boa alternativa para aposentados ou titulares de rendimentos que desejam morar em Portugal. Mas, para iniciar esse processo, é necessário reunir a documentação e apresentá-la ao Consulado.

Os documentos necessários para solicitar o visto para aposentados em Portugal (Visto D7) junto ao Consulado Geral de Portugal são:

    • Duas fotos 3×4 coloridas e recentes;
    • RG ou CNH;
    • Comprovante de alojamento em Portugal;
    • Formulário de solicitação do visto preenchido e assinado;
    • Requerimento do Consulado;
    • Atestado de antecedentes criminais;
    • Declaração de ciência do fato de não dever viajar a Portugal sem visto;
    • Original e xerox do passaporte com validade superior a 3 meses após a data de ingresso;
    • Envelope para devolução de documentos com os dados do requerente no destinatário;
    • Declaração do requerente concordando em receber o passaporte pelo correio em sua residência;
    • Comprovante de rendimentos que possibilitem a residência em Portugal, por um período não inferior a 12 meses;
    • Seguro médico internacional de viagem ou PB4, válido pelo período que o requerente pretende permanecer em Portugal;
    • Autorização destinada ao SEF para consulta ao registro criminal português do requerente, exceto para menores de 16 anos.

Quanto custa e quanto tempo leva para solicitar o visto?

Os valores das taxas para solicitar o visto para aposentados em Portugal (Visto D7) apresentam algumas alterações, pois são estabelecidas mensalmente e têm como base a cotação do euro.

Confira abaixo quais são os custos envolvidos com a solicitação do Visto D7 em 2021:

    • Taxa Consular: R$ 591,45;
    • Tarifa de transferência: R$ 15,27;
    • Taxa de processamento: R$ 165,77.

O prazo médio de processamento do Visto D7 é de 60 dias, contados a partir do dia em que o requerimento é inserido no sistema de vistos. Portanto, o recomendável é que os solicitantes encaminhem o pedido do visto pelo menos 90 dias antes da data prevista para a viagem.

O carimbo é inserido no passaporte do titular pelo Consulado Português e tem validade de 120 dias. Após chegada em Portugal, o titular deve solicitar Autorização de Residência perante o órgão competente, que providenciará o seu Título de Residência.

Vale por quanto tempo?

A autorização de residência é válida por 2 anos e é renovada por mais 3 anos. Após 5 anos de residência legal em Portugal, você pode solicitar a Residência Permanente. Mas o mais legal é que, a partir do 5º ano de residência em Portugal, você já pode solicitar a sua naturalização portuguesa, tornando-se, assim, um cidadão europeu. Você sabia?

Conheça a Você Português

Obter um visto de residência em Portugal é, certamente, uma alternativa para quem deseja morar em terras lusitanas. 

Se você quer saber se tem direito a solicitar o visto D7 e não quer se preocupar com a burocracia do processo, entre em contato com a nossa equipe e conheça os serviços da nossa assessoria para vistos portugueses.

Assessoria para vistos portugueses

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Posts Relacionados

Você quer se tornar Português?
Entre em contato!